fonte: Ministério da Saúde

A infância é um momento primordial para implementação de hábitos saudáveis. Amamentar, vacinar, fazer exames básicos para detectar doenças e também cuidar da saúde bucal para preservar os dentes de leite são ações que devem acompanhar a criança desde o nascimento. Para isso, é recomendado o Pré-Natal Odontológico, disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), que prevê atenção em saúde bucal materno-infantil.

Nesse processo, a gestante começa a ter contato com informações importantes tanto para o autocuidado quanto para a prevenção de agravos em saúde bucal do futuro bebê. Geralmente entre os 6 e 10 meses de vida, surgem os primeiros dentes de leite centrais. Próximo aos 3 anos de idade, a dentição estará completa.

Antes do aparecimento dos primeiros dentes, o bebê não precisa ter a boca higienizada, conforme explica a especialista em odontopediatria, Dra. Nicole Aimee: “o aleitamento materno exclusivo é fundamental até os seis meses de vida e suficiente para a nutrição da criança”.

Durante o nascimento dos dentes, é comum ocorrer febre, irritação, aumento da salivação e diarreia, que podem ou não estar relacionadas à erupção dental. Para ajudar no desconforto sentido pela criança nesse período, é recomendado massagens, uso de mordedores ou alimentos gelados e, sobretudo, consulta com um dentista.

Os dentes de leite, mesmo sendo substituídos no começo da vida, são extremamente importantes, pois são os responsáveis por:

  • Guardar o espaço para o dente permanente;
  • Permitir o desenvolvimento e crescimento da boca e da face da criança;
  • Permitir o desenvolvimento da fala, mastigação e ingestão dos alimentos;

A partir do surgimento do primeiro dente, segundo a especialista, é essencial que os pais ou responsáveis iniciem a higiene bucal com escova macia e pasta com flúor, em quantidade adequada para a idade da criança. Nicole explica ainda que a pasta de dente deve apresentar de 1.000 a 1.500 ppm de flúor para ajudar no controle da cárie. “A escovação é importante para que não haja formação de placa bacteriana nos dentes da criança, que pode ocasionar o aparecimento dessa doença”, acrescenta.

A dentista orienta que não se deve oferecer nenhum tipo de açúcar, seja em preparações ou produtos, nem alimentos ultraprocessados na alimentação da criança até os 2 anos de idade, como biscoitos, sucos, refrigerantes, guloseimas, papinhas industrializadas, entre outros. Essa recomendação contribui para o desenvolvimento da mastigação e para a prevenção do surgimento da cárie dentária e de outras doenças relacionadas à má alimentação, como a obesidade infantil.